Pulsares

O projeto Pulsares, que conta com a presença de Vivian Herzog e Francisco Zanetti, surgiu da idéia de associar diferentes concepções de arte contemporânea, desenvolvidas pelas áreas de artes visuais e design gráfico, partindo de um ponto em comum: a análise dos padrões dos pavimentos do centro histórico da cidade de Pelotas, RS. Vivian Herzog apresenta delicadas anotações feitas cotidianamente, durante alguns meses. Mas também reafirma que a força da sua gestualidade pode ocupar paredes inteiras. No trabalho de Francisco Zanetti, as geometrias presentes nas lajotas hidráulicas foram reinterpretadas à luz das novas tecnologias digitais de captação e produção de imagens. Em suma, o projeto Pulsares sugere, aos visitantes, novos olhares sobre detalhes da paisagem urbana, que, de tão conhecida e habitual, costuma se tornar invisível para quem anda apressado, tentando acompanhar o ritmo frenético da vida atual.

Neiva Bohns, curadora

Visitação: de 8/8 a 2/9/2007

As exposições da Galeria Ecarta são estendidas ao Azul Cobalto Café (Lima e Silva, 744 - Porto Alegre), numa parceria que visa ampliar a divulgação da produção artística para além do espaço institucional.

NOTA PÚBLICA
Repúdio à sanção
do Governo para
extinção das
fundações estaduais

Nome: 
E-mail: 
 
 

CONTEXTUALIZAÇÃO
A cidade de Pelotas, RS, Brasil, possui um rico patrimônio edificado, de arquitetura predominantemente eclética, datado de finais do século XIX e inícios do século XX. Para tornar mais confortável e agradável o espaço urbano numa época de prosperidade econômica da região (em função do acúmulo de capital proveniente dos negócios com o charque) houve uma preocupação especial com o calçamento das ruas e dos passeios públicos. Algumas partes do chamado centro histórico ainda possuem pavimentos decorativos, formados pela justaposição de lajotas fabricadas artesanalmente em estabelecimentos locais. Há nas peças originais uma evidente associação entre funcionalidade e preocupação estética, questão, aliás, bastante relevante tanto para a modernidade quanto para a contemporaneidade. Contudo, para quem percorre diariamente as calçadas estreitas que guardam vestígios de um passado inalcançável, os belos desenhos e as formas regulares perdem por completo a visibilidade e o significado.

CONCEITOS BÁSICOS

O termo pulsares sugere noções de ritmo, de repetição e de variações de intensidade. Também faz pensar nas individualidades, nas vidas de cada um, nos passos que se sucedem, e que criam diferenças entre as trajetórias. Gerados a partir das vivências cotidianas no espaço urbano, os trabalhos apresentados nesta exposição incorporam idéias e sensações do mundo contemporâneo. Estão presentes na expressividade do gesto/pensamento gravado nas paredes, assim como no fascínio despertado pelas formas geométricas em movimento. Mas principalmente ganham existência com a participação ativa do público no processo de criação e de fruição estética.

PROCESSO CRIATIVO
Vivian Herzog e Francisco Zanetti começaram a desenvolver os trabalhos do projeto Pulsares individualmente, sem estabelecerem contato entre si. A proposta inicial foi a de que percorressem o espaço urbano, observando, analisando e coletando imagens de detalhes dos pavimentos. Durante alguns meses, nos reunimos separadamente para discutir formas de desenvolvimento do trabalho.

Como artista plástica de formação, Vivian demonstrou logo interesse pelo desenho. Combinamos, então, que ela faria uma coleção de desenhos a partir das formas e cores sugeridas pelas peças decorativas. Logo surgiu a idéia de fazer anotações em cadernos. No decorrer dos nossos encontros, discutimos a possibilidade de ocupação gráfica de uma das paredes da sala. Outras idéias se sucederam, e os desenhos e projetos começaram a se proliferar. Depois de alguns testes, o material a ser utilizado foi escolhido.

Francisco Zanetti, estudante universitário já habituado ao trabalho com webdesign, assim que recebeu o convite e a proposta inicial começou a fotografar as calçadas da cidade. Acabou descobrindo um universo que nunca tinha percebido. Em nossas reuniões discutíamos que tipo de resultado poderíamos ter com a aplicação de tecnologia digital a um material visual tão rico. Idéias envolvendo possibilidades de interação do público começaram a borbulhar; mas tínhamos que nos restringir aos recursos tecnológicos disponíveis. Assim, concordamos em utilizar poucos computadores e um único equipamento de projeção.

Quando os respectivos projetos já estavam suficientemente maduros, os dois jovens artistas se encontraram e as discussões sobre ocupação de espaço, procedimentos de realização e montagem das obras começaram a ser discutidos em grupo. A partir de então a preocupação central da curadoria era a de estabelecer um equilíbrio de forças entre as linguagens artísticas que estavam sendo trabalhadas. Como as datas da exposição precisaram ser adiadas diversas vezes por motivos técnicos, o grupo teve mais tempo para amadurecer idéias, experimentar novas possibilidades e selecionar as melhores opções.

O projeto Pulsares também conta com a participação especial de Fabiane Luckow, que realizou o vídeo que integra o trabalho de Francisco Zanetti.

Neiva Bohns
Porto Alegre, 30 de julho de 2007

Fotos da abertura da exposição - dia 7 de agosto
Fotos: René Cabrales
 
Detalhe do trabalho de Francisco Zanetti
Detalhe do trabalho de Vivian Herzog

   Apoio:

Fundação Cultural e Assistencial ECARTA
Av. João Pessoa, 943 - Porto Alegre - RS - Brasil - Fone: 51-4009.2970
© Copyright 2005 - 2011 Todos os direitos reservados (All Rights Reserved)